Skip to content

Jornalista é ameaçado de morte por ter associado torcida de futebol à homossexualidade

04/12/2009

Dia 28 de novembro, o jornalista mineiro Oswaldo Braga, que escreve no jornal O Tempo, publicou um artigo intitulado de É gol!. O jornalista escreveu sobre uma suposta história da torcida do Cruzeiro. Segundo o autor, a torcida é conhecida como “o time dos gays” por dois fatos curiosos. Um deles remete ao fato de o time ter sido fundado por imigrantes italianos bem vestidos e bem educados.

Desde esta publicação, Oswaldo vem sofrendo inúmeras ameaças por e-mail, incluindo ameaças de morte. Em uma das mensagens, um torcedor diz: “Você será assassinado em breve. Tomará pipocos na cara, só na cara.”.

A ABGLT – Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais, lançou uma nota de solidariedade ao jornalista cobrando que “autoridades competentes tomem providências em relação às ameaças de violência e morte que o jornalista recebeu”, escreve o presidente da Associação, Toni Reis.

Abaixo, segue o texto que levou a toda essa polêmica:

É gol!

Que felicidade! Exultante, corre o atacante vitorioso em direção à torcida, enquanto seus companheiros o perseguem. Num gesto impetuoso, ele tira sua camisa e exibe um abdominal de gominhos, o tórax seco, sem uma grama sequer de gordura. Um atleta que tem a noção exata do seu momento de glória, quando milhões de olhos encantados se voltam para ele. Um homem que exala sedução por todos os poros. A torcida vem abaixo, se encanta incontinente com a figura do ídolo descamisado quando seus colegas o alcançam para o glorioso abraço que consolida o espírito de time e o sucesso do trabalho conjunto. Um caloroso momento íntimo-coletivo em que corpos suados, mãos, caras, bocas e sexos se esfregam sem censura ou qualquer tipo de limite machista. Um homoerotismo que contagia todo o estádio, um ambiente masculino por essência, diante dos olhos de milhares de homofóbicos.

É gol! Que felicidade!

O assunto futebol tem estado presente neste final de Campeonato Brasileiro. Eis que alguém me pergunta para que time eu torço e respondo orgulhoso: “Cruzeiro!”. “Ah! Claro! Só podia ser!”, responde. ” Por quê?”, replico já adivinhando a resposta: porque sou gay e o Cruzeiro é o time dos gays. Eis a tola explicação para sua óbvia conclusão chauvinista.

Encontrei duas hipóteses que explicariam essa ligação: a primeira diz respeito à origem do Cruzeiro. O clube foi fundado pela colônia italiana de Belo Horizonte, pessoas cultas, que se vestiam bem e se comportavam com educação nos estádios. Logo, todo cruzeirense seria gay, pois segundo essa lógica troglodita, ser culto e educado não é coisa de macho.

A outra história tem a ver com o goleiro Raul Plassmann, famoso no Cruzeiro, depois no Flamengo e até na seleção brasileira. Numa época em que os goleiros se vestiam invariavelmente de preto ou cinza e “homem que era homem” não vestia roupa colorida, faltou a camisa do Raul e improvisaram uma substituta para que pudesse jogar.

O jovem bonito, louro e cabeludo Raul Plasmann desafiou os costumes e defendeu o Cruzeiro com uma camisa amarela que se tornaria sua marca registrada. Naquele momento, Raul ganhou a alcunha de Wanderléia, em referência à cantora loura da Jovem Guarda. E a torcida do Cruzeiro, o título pejorativo de “time de bichas”.

A homofobia precisa ser questionada. Hoje, a camisa amarela não representa mais um sinal de feminilidade, os jogadores se exibem nos estádios e em revistas gays, mas os cruzeirenses continuam ligados aos homossexuais. Contudo, isso nos trouxe também avanços, uma vez que as torcidas organizadas Crugay e Rosa Azul são aceitas e respeitadas nos jogos do Cruzeiro.

Camisinha sempre!

Fonte: Redação da Nuance


Anúncios
One Comment leave one →
  1. Emerson Braga permalink
    10/12/2009 8:15

    Cruzeirenses, por favor, aprendam a receber um elogio! O texto do Oswaldo Braga tá leve, gostoso de se ler, uma justa homenagem à diversidade que compõe a torcida do Cruzeiro.
    O mundo está mesmo “de pernas pro ar”, como diria o escritor uruguaio Eduardo Galeano. Agora pessoas são ameaçadas de morte quando deveriam ser aplaudidas… Lamentável.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: